segunda-feira, 19 de março de 2018

O Velho e o Mar - Thierry Murat


Cuba, início dos anos 1950. Santiago, um velho pescador, sai para o mar após 84 dias sem pescar um único peixe. Todos os habitantes da ilha afirmam que Santiago está velho de mais e em maré de azar, mas Manolin, o pequeno rapaz, continua a acreditar nele apesar dos comentários depreciativos dos pais.

Ao 85.º dia, Santiago decide partir para o mais longe possível, ao largo do Golfo, em busca do peixe que lhe devolverá o respeito dos habitantes da ilha. É então que encontra um magnífico espadarte, enorme e forte. A luta homérica entre o velho e o peixe predador durará três dias e três noites: no regresso a terra firme, o velho, derrotado, recuperou a dignidade entre os seus pares após uma batalha corajosa.

CRÍTICAS DE IMPRENSA

Visualmente austero, alternando entre planos gerais e pormenores, com uma paleta limitada mas certeira [...], o livro de Murat consegue transportar-nos para o centro da solidão de Santiago, para o cerne da sua comovente dignidade. O lirismo humanista da obra de Hemingway está lá, mesmo se se perde, inevitavelmente, algum do enorme poder evocativo da sua prosa.
Expresso (5 *****)


 O velho e o mar


Sem comentários:

Enviar um comentário

SUGESTÃO

Inferno de Dan Brown

Um Mar Sem Estrelas - Erin Morgenstern

Muito abaixo da superfície da Terra, na margem do Mar Sem Estrelas, existem inúmeros túneis e recintos cheios de histórias. As entradas que...